A contradição do Afropunk e de ser um negro alternativo

Dentro de uma cultura hegemonicamente branca, ser negro já te faz alternativo, diferente. De um modo ruim, é claro. Diferentes em relação a quem? Já disse a escritora portuguesa Grada Kilomba: “Eu só me torno diferente se a pessoa branca se vê como ponto de referência, como a norma da qual eu difiro. (…) Eu…

A Nova Etiqueta das Ruas

Uma boa maneira de dar o pontapé inicial a projetos novos é reeditar material antigo que você acha legal. Esse é o caso do artigo abaixo. De autoria de Jun e Kibe, ele foi publicada há uns quatro anos atrás em uma edição da revista O Menelick Segundo Ato. Tem um formato pouco usual para…